sábado, 25 de abril de 2009

A Religião Vermelha



Por Guilherme Parizio


Se eu pedisse a qualquer pesoa um pouco informada sobre assuntos religiosos que me citasse o nome de uma religião que promete o paraíso na terra e o fim das desigualdades entre os homens num reino de paz para sempre, muito provavelmente a resposta seria: "OsTestemunhas de Jeová". Poucos associariam esses conceitos a um grupo eminentemente anti-teísta e que sistematicamente perseguiu e eliminou grupos religiosos do território que dominaram por três quartos de século.

Estou me referindo a uma religião que dominou um país de proporções continentais e rivalizou com o cristianismo num periódo de 74 anos na Rússia e nas demais regiões que nessa época eram conhecidas pelo nome de "União Soviética". Ou o amigo(a) não sabia que de certo modo o chamado "Marxismo-Leninismo" incorporava elementos religiosos em seu bôjo? Se Está disposto a conhecer alguns desses elementos, lhes convido a ler as próximas linhas que preparei para serem debatidas.

Antes que algum irmão mais "progressista" me tache de reacionário, quero deixar bem claro que só abordei esse tema pelo simples motivo de que sempre simpatizei com as idéias de esquerda mas não posso deixar de admitir que o sistema que foi implantado na antiga União Soviética além de desumano, foi incompetente. Ao escrever essas linhas não tive outra intenção se não fazer um pequeno esbôço de um aspecto que considero fundamental nesse sistema, o religioso, ainda que os teóricos do movimento neguem que o sistema traga em si esse elemento.

Realmente, o marxismo-leninismo propaga, como já foi salientado acima, uma emancipação dos conceitos metafísicos e de qualquer esperança extra –túmulo. Isso não quer dizer que os mesmos não tenham incorporado ao sistema, ainda que de forma inconciente, rituais consagradas pela religião. E não só isso, houve mesmo uma “teologia” e uma mística marxista, coisa que podemos sentir não só nos escritos dos fundadores como em seus posteriores propagadores, ainda que a palavra “Deus” não esteja lá, a não ser de forma negativa. Não importa: a religião vermelha existiu, com todo seu aparato comprado aos das grandes religiões do mundo.


O homem tem um vazio em forma de Deus, e só Ele pode preenchê-lo. Todo sistema, ideologia ou coisa parecida que não considere essa verdade tende ao fracasso.

Deus: O estado

Diferente das tradições religiosas conhecidas a “teologia” comunista não tem um Deus pessoal como objeto de adoração. Tal Deus, segundo eles, é uma ilusão alienante que escraviza o homem e o impede de lutar pela libertação dos povos do jugo capitalista. Esse Deus além de inútil é pernicioso. Não há lugar para ele no mundo da religião vermelha. Deve ser rejeitado e combatido. Em seu lugar se ergue o Estado, com seu poder absoluto de vigiar e cuidar da sociedade. Nada nem ninguém está fora do seu poder. Nenhuma instituição pode fugir de seu controle.

Para que haja respeito pelo estado o mesmo deve ser temido e admirado. Um verdadeiro “culto” deve ser prestado a ele e uma complexa liturgia deve ser desenvolvida. O povo terá o vazio deixado pelos ídolos metafísicos preenchido por esses espetáculos públicos que devem embebecer os sentidos para impedir que o Deus destronado não tente se revolver em seus corações. Parece que esse foi o quesito em que eles mais foram incompetentes, haja visto as notícias de igrejas e pessoas que nunca sucumbiram a essa atitude que as agências missionárias recebiam constantemente nessa época.

O Profeta e Legislador: Karl Marx


Foi aquele visionário que primeiro teve a "luminosa" idéia de um mundo onde todos teriam os mesmos direitos e oportunidades sem ricos nem pobres, patrões ou empregados, ou seja , o céu (chamado por eles de sociedade sem classes) e onde um unico Deus (estado) seria senhor absoluto de corações e mentes (para o bem de toda essa nova socidade).













O Messias: Lênin

O grande salvador e libertador do povo russo, e por quer não dizer, de todo aquele que aceitassem sua proposta de libertação. De qualquer forma todas as pessoas iriam aceitar essa proposta mais cedo ou mais tarde (querendo ou não) pois a tendencia natural da história e o destino final da humanidade era se tornar um paraíso comunista.













O Papa: Stalin

Após a morte do messias (que não ressussitou, obviamente) foi nescessário a eleição de um vigário para conduzir os fiéis no caminho da ortodoxia vermelha, pois muitos hereges, como veremos a seguir, já estavam se in surgindo contra a "sã doutrina" pregada pelos profetas e postas em prática pelo messias, que , diferentemente do da tradição cristã, deixou muitos escritos para que o povo não se desviasse.

O papa manteve a ordem e excomungou muitos hereges, como Trotsky, que foi executado pela inquisição vermelha.









A Sé apostólica: O Kremlin

Todo papa presisa de uma sé e não foi diferente com Stalin. O Kremlin se prestou perfeitamente a essa função. De lá ele comandou com mão de ferro todo império vermelho (União Soviética) e influenciou de forma poderosa outras regiões mais distantes onde essa forma de religião era professada (p.ex: Cuba, China...






A Catequese: A doutrinação

Era feita a partir da mais tenra idade. Era intensiva (através da doutrinação) e ostensiva (através da propaganda).

Literatura contrária à doutrina era expressamente proibida, e só poderia ser lida por especialistas com o intuito de ser analisada e refutada.








As Cruzadas

Essa modalidade de expressão religiosa não poderia faltar a religião vermelha. Os combatentes da fé se enpenhavam ao máximo para converter os "pagãos" a sua religião (caso contrário, pelooes de fuzilamento, deportações para sibéria...)



Os Hereges

O caso emblemático foi o de Trotsky que mesmo sendo um apóstolo da religião, não foi poupado para dar o exemplo e não contaminar a fé dos fiéis.








A Inquisição

Interrogatórios, denuncias e execuções eram comuns no mundo vermelho. Eram armas constantemente usadas pelos homens do Kremlin.







A Bíblia

A religião vermelha era uma religião altamente escriturística com suas escrituras sagradas como regra de fé e prática valendo para todos os fiéis. Seus principais escritores sacros eram Marx, Engels e Lênin, por isso o sistema também é chamado de “marxismo-leninismo”.













Os Perdidos

Eram todos os não-vermelhos, principalmente um povo que se intitulava cristão e obstinadamente teimava em não se curvar a liberdade que lhes era oferecida, mesmo a custa de sua própria vida. O mais incrível era que muitos dos que professavam a religião vermelha ao presenciarem tais atos de insubordinação também se tornavam cristãos e, apesar da perseguição sistemática, núcleos do cristianismo proliferavam a cada dia não só na Rússia mas em todos os países satélites(era a chamada igreja subterrânea).







A Escatologia

A religião vermelha cria que em um futuro próximo, após um período de choque entre as potências mundias um novo mundo iria surgir, sem explorados e exploradores, sem classes sociais, onde Deus (estado) seria o único senhor, como foi profetizado por Marx.












Segundo alguns, muitos fiéis remanescentes ainda estão por aí , nos mais diferentes lugares do mundo, ainda que alguns professem um forma heterodoxa da doutrina.
Muitos deles esperam um advento glorioso, principalmente nesses últimos tempos de crise global: são os profetas vermelhos. O tempo dirá se esses resignados combatentes voltarão a ver o sistema em sua total glória passada.

Pode parecer contraditório, mas sempre votei em Lula e escolhí candidadtos de esquerda. Mas, "o que escreví, escreví". É o que penso sobre aquele tipo de socialismo burocrático, intolerante, inóquo e desumano. Idêntico a muitas religiões que existem no mundo de hoje.