segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Deus usou o cigarro para salvar a vida de um homem?


Por favor, que ninguém pense que sou apologista do ato de fumar, nem fumante. Mas existem certas coisas com que me deparo e acho que presiso compartilhar com os amigos.

O escritor João Guimarães Rosa, quando de sua estada em Hamburgo, Alemanha na condição de diplomata, estando hospedado em um hotel foi acometido de irresistível vontade de fumar, isso lá pelas tantas da madrugada. O mesmo desceu e foi até o outro lado da rua comprar as famigeradas chupetas do diabo. Ao entrar no estabelecimento comercial, deu-se início a um ataque aéreo (a 2ª guerra mundial estava no auge) e aquele hotel veio abaixo, sem nenhum sobrevivente.

Anos mais tarde, sua filha o aconselhou a deixar de fumar, argumentando que isso o levaria a morte e o autor de grande sertão: veredas respondeu "É, pode até ser, mas aquele cigarro salvou a minha vida".

Fica a questão:

*Foi Deus que suscitou aquele desejo de fumar nele?
*Se foi, o Senhor utilizou um meio ilícito para tal?
*Se não foi Deus, mas o acaso, onde fica a doutrina dos decretos Divinos?

O que vc acha?

Um comentário:

james disse...

Graça vós e paz da parte de Deus e de nosso Senhor Jesus Cristo, amado irmão Guilherme Parizio.

Ao nosso entendimento, esta é uma história do perfeito acaso...

Se alguns crêem que Deus utilizou a cigarro para salvar o João, neste caso, então porque Deus não salvou também os que morreram no ataque aéreo? O que neste caso, salvando a vida do João e deixando os outros morrerem, Deus seria injusto, e Deus é Justiça...

No caso dos decretos Divinos, a Palavra de Deus nos diz que, a alma que pecar, esta morrerá, e cremos que o João naquela época era um pecador, portanto, ainda mais nos reforça a idéia do acaso...

O João simplesmente teve vontade de fumar e coincidentemente caiu um bomba no local onde ele estava...

Fraternalmente.
James.
www.jesusmaioramor.blogspot.com